Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On Linkedin
Household InnovationCiência & TecnologiaDetergente derivado de flores limpa a água

Detergente derivado de flores limpa a água

Um grupo de cientistas russos da cidade de Yekaterinburg desenvolveu produtos de micro-limpeza compostos por ingredientes naturais, como maçãs e girassóis. Eles podem ajudar a deter a poluição da água, um grande problema para os russos, que afirmam ter a segunda maior fonte de água doce do mundo, depois do Brasil.

Criada em 2012, a BioMicroGel fabrica produtos ecológicos que podem limpar tudo, desde germes domésticos a derramamentos de petróleo.

“Em 2015, apenas 11% de toda a água residual da Rússia foi adequadamente tratada e limpa, 19% não foram purificadas de modo algum” disse Renata Borodkova em relação ao programa de ação federal, Água da Rússia. As principais fontes de poluição da água da Rússia são descargas industriais (geralmente, ilegais), escoamento agrícola, sistemas mal equipados de esgoto municipal e infraestrutura dilapidada.

A Rússia também é um dos principais exportadores de petróleo do mundo. O Ministro do Meio Ambiente do país relatou que até 1,5 milhão de toneladas de produtos de petróleo poderiam estar vazando para o Oceano Ártico todos os anos. O Greenpeace Rússia estima que isso resulte em uma perda financeira de cerca de US$ 4,8 bilhões.

“Vendo o que está acontecendo na Rússia e em todos os lugares, é óbvio que precisamos encontrar meios para diminuir nosso impacto ambiental nos ecossistemas locais”, disse Andrey Yelagin, engenheiro graduado responsável por criar a BioMicroGel com alguns amigos.

Maxim Mironov, chefe de R&D da BioMicroGel, contou: “Em busca de ideias, pesquisamos o setor farmacêutico onde reagentes encapsulam substâncias ativas para fornecer o medicamento a um órgão do corpo e, depois, se dissolver. Esses reagentes podem mudar do estado líquido para gelatinoso”. A equipe decidiu experimentar essa substância e a denominou microgéis.

A BioMicroGel desenvolveu microgéis especiais baseados em materiais naturais, como celulose e pectina da polpa da maçã e girassóis. Os microgéis cobrem os poluentes com uma camada de polímero, ligando-os efetivamente, de modo que a massa gelatinosa possa facilmente ser removida da água. Após passar pelos sistemas de esgoto para águas abertas, os biomicrogéis levam apenas alguns dias para se dissolver.

Mironov considera a BioMicroGel única e diz que recebeu mais de 20 patentes em 19 países diferentes. A startup obteve suporte do Fundo Skolkovo na Rússia e foi o primeiro negócio russo a chegar às finais de 2016 na aceleradora internacional de startups Mass Challenge.

“Começamos tentando trabalhar no setor B2B, concentrando nos problemas de poluição de água industrial com metais pesados e petróleo”, disse Yelagin. “Até o momento, realizamos um projeto com a Ural Mining e Metallugical Company, onde limpamos com sucesso o equipamento de troca de calor com biomicrogéis.”

Em 2014, a empresa começou a usar a mesma tecnologia para produzir detergentes domésticos ecológicos para o mercado consumidor, já que a poluição da água na Rússia também se origina nos fosfatos nos produtos de limpeza domésticos. O escoamento de fosfato leva à eutrofização – um crescimento excessivo de algas que lentamente esgotam o oxigênio da água, matando a vida marinha.

No momento, a BioMicroGel produz cerca de 60 toneladas de detergente doméstico, fornecido em 15 regiões da Rússia.

Fonte: Valor

Comments are closed.

Parceiros