Chemyunion HI 0820
Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram
Household InnovationÚltimas notícias Portal Household Innovation

Unilever anuncia transição dos produtos de limpeza e lavanderia para química verde

  • Written by:

Investimento global de 1 bilhão de euros no programa “Futuro Limpo” vai promover o fim do uso de substâncias químicas derivadas de combustíveis fósseis até 2030

A Unilever, umas das líderes mundiais em bens de consumo, vai substituir globalmente 100% do carbono derivado de combustíveis fósseis de seus produtos de limpeza e lavanderia por carbono obtido de fontes renováveis ou recicladas. Com investimento de 1 bilhão de euros em pesquisas e desenvolvimento, o programa visa transformar a pegada ambiental de suas marcas globais de limpeza e lavanderia como OMO, Brilhante, Cif, Sétima Geração, entre outras.

Essa nova ambição é o coração do programa “Futuro Limpo”, iniciativa global de inovação e sustentabilidade da Unilever, desenvolvida pela divisão de Cuidados com a Casa da companhia, para mudar radicalmente o modo como os produtos de limpeza e lavanderia mais utilizados no mundo são criados, fabricados e embalagem em suas fórmulas e embalagens dos produtos para reduzir a pegada de carbono.

A maior parte dos produtos de limpeza e lavanderia disponíveis no mercado contém componentes químicos feitos a partir de combustíveis fósseis, fonte não-renovável de carbono. A transição da Unilever para fontes renováveis ou recicladas de carbono busca se desvencilhar do mercado de combustíveis fósseis. Primeira iniciativa com esta magnitude, o “Futuro Limpo” vem ao encontro da ambição da companhia de zerar as emissões líquidas de seus produtos até 2039.

Para Eduardo Campanella, vice-presidente de Cuidados com a Casa da Unilever para a América Latina, ações de combate às mudanças climáticas não podem mais esperar. “Diariamente, 2,5 bilhões de pessoas tocam um produto Unilever no mundo. Essa é a dimensão da nossa responsabilidade e da capilaridade que temos para liderar essa agenda de transformação. Nosso objetivo é convidar outras indústrias a virem conosco em um movimento – sem volta – rumo a uma nova economia. Uma economia que seja igualmente boa para as pessoas e para o planeta”.

Os componentes químicos usados nos produtos de limpeza e lavanderia fabricados pela Unilever são responsáveis por 46% da pegada de carbono ao longo do seu ciclo de vida. Assim, com o fim do uso de substâncias químicas derivadas de combustíveis fósseis nas fórmulas dos produtos, a empresa vai abrir novos caminhos para reduzir a pegada de carbono de algumas das maiores marcas de limpeza e lavanderia do mundo. A Unilever espera que essa iniciativa sozinha reduza a pegada de carbono das fórmulas dos produtos em até 20%.

No Brasil

A Unilever já está inovando no mercado brasileiro, trazendo a seus consumidores algumas entregas sustentáveis alinhadas às prioridades do programa “Futuro Limpo”. Tais prioridades são: eliminar os petroquímicos; reduzir a pegada de carbono; diminuir o consumo de água; reduzir o plástico de uso único nas embalagens; e utilizar cada vez mais ingredientes em que os consumidores confiam.

Lançada em 2019, a marca Sétima Geração é um dos exemplos claros de entrega dessas prioridades no Brasil. Com um portfólio composto por produtos biodegradáveis, fabricados com 99% de matérias-primas vegetais e nenhum ativo petroquímico, a marca já endereça a eliminação do uso de petroquímicos. Além disso, todas as embalagens são feitas de plástico reciclado e plástico verde proveniente da cana-de-açúcar.

A tecnologia de ativos concentrados nas fórmulas de Brilhante é outro exemplo de inovação a serviço da sustentabilidade ambiental, disponível ao público brasileiro desde 2019. Graças a ela, a marca eliminou 20% das emissões de carbono gerados pela versão anterior, o que corresponde a dez carros percorrendo mais de cinco vezes o planeta Terra.

Já a fórmula seis vezes mais concentrada de OMO para Diluir eliminou 72% do plástico da embalagem, resultando na diminuição do uso plástico virgem, além de gerar menos emissões de CO2 .

O “Futuro Limpo” simboliza a visão de reestruturação radical da Unilever no modo como quer conduzir seus negócios. Segundo Peter ter Kulve, presidente global da divisão de Cuidados com a Casa da Unilever, a dependência da indústria de combustíveis fósseis não deve mais existir. “Devemos parar de extrair carbono de debaixo do solo enquanto há uma enormidade de carbono acima dele. Basta aprender como utilizá-lo em escala.”

Este é um novo ciclo para a Unilever, que há dez anos foi pioneira em falar de sustentabilidade como propósito e estratégia de negócios. “Estamos revisitando todo nosso portfólio para oferecer ao consumidor produtos de limpeza e lavanderia sustentáveis e ao mesmo tempo mais acessíveis. Com os rápidos avanços da ciência e da tecnologia, já é possível oferecer produtos que sejam bons para os consumidores e muito melhores para o meio ambiente”, completa Campanella.

Diversificação das fontes de carbono

Para detalhar a estratégia de diversificação das fontes do carbono utilizado nas fórmulas, a Unilever criou o Carbon Rainbow™. O carbono negro, obtido de fontes não-renováveis, como petróleo, por exemplo, será substituído por CO2 capturado da atmosfera (carbono roxo), de plantas e fontes biológicas (carbono verde), de fontes marinhas, como algas (carbono azul) e por meio de carbono recuperado de resíduos (carbono cinza).

Carbon Rainbow™ na prática

O “Futuro limpo” já está financiando projetos de pesquisa e de desenvolvimento com base em seu novo modelo, tais como:

♦ Carbono roxo (captura e utilização de carbono para produzir carbonato de sódio e outras substâncias químicas)

♦ Carbono verde (surfactante ramnolipídeo derivado de biomassa terrestre)

♦ Carbono cinza (surfactante derivado de resíduos)

♦ Biodegrabilidade (polímeros de limpeza biodegradáveis)

♦ Fórmulas de baixo carbono (ingredientes com eficiência de peso)

De acordo com o Carbon Rainbow™, a extração de carbono considerará o impacto ambiental e será monitorada pelos programas de extração sustentável da companhia, para evitar processos desordenados do uso do solo. “Há uma nova bioeconomia surgindo das cinzas dos combustíveis fósseis”, conclui Peter ter Kulve, presidente global da divisão de Cuidados com a Casa da Unilever.

O mundo deve eliminar o uso dos combustíveis fósseis e fazer a transição para recursos renováveis, de menor impacto nos ecossistemas e que ajudam a restaurar a natureza. Segundo Tanya Steele, diretora executiva da WWF no Reino Unido, “os compromissos assumidos pela Unilever, associados à robustez da sustentabilidade, têm potencial genuíno para uma contribuição importante na preservação da natureza a partir do momento em que transitamos para uma economia que trabalha com os recursos naturais, não contra eles”.

“Diversificar as fontes de carbono é essencial para crescermos dentro dos limites do planeta. Os nossos fornecedores e parceiros de inovação desempenham um papel importantíssimo nessa transição. Ao compartilharmos o modelo Carbon Rainbow™, invocamos uma transformação no modo como usamos carbono em toda a economia”, afirma Kulve.

Compromissos assumidos recentemente pela Unilever:

♦ Zerar as emissões líquidas de carbono geradas por nossos produtos, da fabricação às gôndolas, até 2039;

♦ Reduzir pela metade o impacto dos gases do efeito estufa durante todo o ciclo de vida dos nossos produtos até 2030;

♦ Zerar as emissões de gases do efeito estufa das nossas operações até 2030;

♦ Tornar as fórmulas dos nossos produtos biodegradáveis até 2030;

♦ Alcançar uma cadeia produtiva sem desmatamento até 2023;

♦ Reduzir pela metade o uso de plástico virgem, ajudar a coletar e processar mais plástico do que vendemos e garantir que todas as embalagens plásticas dos nossos produtos sejam reutilizáveis, recicláveis e compostáveis, usando pelo menos 25% de plástico reciclado nas embalagens até 2025.

Esfrebom redesenha embalagens de esponja

  • Written by:

Lançada em 2019 pela Bettanin, a esponja EsfreBom Diamond foi repaginado.

Frente a consolidação da esponja premium em sua categoria, Aguinaldo Fantinelli, diretor geral da Bettanin, apresenta um novo momento para o produto no mercado: sua revitalização. ‘’A EsfreBom Diamond se mostrou uma esponja diferenciada nas mãos de quem a tem, e sentimos que agora é o momento de ressaltarmos isso para o mercado e consumidores. Por meio de um trabalho aprofundado de pesquisa, nosso produto está pronto para ganhar ainda mais protagonismo nas gôndolas e lares’’, afirma.

EsfreBom Diamond agora segue um novo padrão de cores, incluindo tonalidades da marca, como o prata, o roxo e o verde tiffany. Para dar ênfase ao seu principal atributo, os diamantes sintéticos, o produto agora conta com uma ilustração vazada no formato do próprio diamante, que possibilita a visualização da manta abrasiva.

Outras mudanças, que garantirão destaque nas prateleiras e plataformas online, são o aumento da tipografia do nome Diamond na embalagem, a disposição de textos explicativos, com fundos mais contrastantes, estrutura de tópicos e inclusão de ícones para uma leitura mais dinâmica, e a maior ênfase nos principais claims da esponja:  ‘faz mais espuma’, ‘dura mais’, ‘limpa fácil’, ‘mais esponja para você’, além da informação dos Íons de Prata – fórmula patenteada pela Bettanin na categoria de esponjas, cujo benefício é ‘eliminar 99,9% das bactérias’.

Pensando no maior conforto na hora de lavar a louça, EsfreBom Diamond teve uma leve redução em sua espessura, mas ainda se mantém com um tamanho 20% maior quando comparado à esponja EsfreBom Multiuso Unitária.

EsfreBom Diamond pode ser encontrada em embalagem econômica contendo 3 unidades ou em versão unitária. Com caixas expositoras que seguem o mesmo padrão de comunicação estabelecido pelo redesign dos SKUs, a esponja promete destaque nas gôndolas.

 

 

 

 

 

Fonte: Embalagem Marca 01.09.2020

Unilever investe um bilhão de euros para melhorar produtos e embalagens

  • Written by:

A Unilever quer substituir todo o carbono derivado de combustíveis fósseis nas fórmulas dos produtos de limpeza e de lavagem de roupa, por carbono renovável ou reciclado, em marcas globais como Omo, Cif e Sétima Geração, entre outras.

O programa “Futuro Limpo” (Clean Future) visa alterar radicalmente o modo como são criados, fabricados e acondicionados alguns dos produtos de limpeza e de lavagem de roupa mais conhecidos do mundo. O programa tem o objetivo de incorporar os princípios da economia circular tanto na embalagem quanto nas fórmulas utilizadas para que marcas mundialmente conhecidas reduzam a sua pegada de carbono.

Para a implementação do Clean Future, a Unilever anunciou investimentos globais de um bilhão de euros.

As substâncias químicas usadas nos produtos de limpeza e de lavagem de roupas da Unilever representam a maior parte da pegada de carbono (46%) ao longo do ciclo de vida dos mesmos. A Unilever espera que, apenas com essa iniciativa, reduza a pegada de carbono das fórmulas dos produtos em até 20%.

Peter ter Kulve, presidente global da divisão de Cuidados com a Casa da Unilever, explica que o programa Clean Future é a visão de reestruturação radical do negócio da companhia. “Nos últimos meses, verificamos uma procura pelos nossos produtos de limpeza sem precedentes e estamos muito orgulhosos de fazer a nossa parte, ao ajudar a manter a segurança das pessoas na luta contra o COVID-19. Mas isso não é razão para condescendência. Não podemos perder o foco da crise ambiental que o nosso mundo enfrenta”.

O investimento anunciado destina-se a financiar pesquisas em biotecnologia, utilização de CO2 e de resíduos e química de baixo carbono para criar fórmulas de produtos biodegradáveis e com eficiência no uso de água, além de reduzir para metade o uso de plástico virgem até 2025.

Para detalhar a estratégia de diversificação das fontes do carbono utilizado nas fórmulas, a Unilever criou o Carbon Rainbow, componente essencial do programa Clean Future. Trata-se de uma nova abordagem para diversificar o carbono usado nas fórmulas dos produtos.

As fontes não renováveis de carbono (carbono negro), como petróleo, por exewmplo, serão substituídas por CO2 capturado (carbono roxo), plantas e fontes biológicas (carbono verde), fontes marinhas, como algas (carbono azul), e resíduos (carbono cinza).

De acordo com o “Carbon Rainbow”, a extração de carbono vai seguir avaliações de impacto ambiental e será monitorada pelos programas de extração sustentável da Unilever para evitar pressões indesejadas sobre o uso da terra. Peter ter Kulve acredita que está surgindo uma nova bioeconomia das cinzas dos combustíveis fósseis. “Já ouvimos dezenas de vezes que as pessoas querem produtos sustentáveis mais acessíveis, e que sejam tão bons quanto os convencionais. Com os rápidos avanços da ciência e da tecnologia, conseguimos oferecer isso com a promessa de novos benefícios para quem usa os nossos produtos, desde ingredientes ultra suaves até roupas e superfícies com autolimpeza. Diversificar as fontes de carbono é essencial para crescermos dentro dos limites do planeta. Os nossos fornecedores e parceiros de inovação desempenham um papel crucial nesta transição. Ao partilharmos o nosso modelo “Carbon Rainbow”, invocanmos uma transformação em toda a economia sobre o modo como usamos o carbono”, finaliza Kulve.

Compromissos assumidos pela Unilever:

♦ Zerar as emissões líquidas de carbono geradas por nossos produtos, da fabricação às gôndolas, até 2039;

♦ Reduzir pela metade o impacto dos gases do efeito estufa durante todo o ciclo de vida dos nossos produtos até 2030;

♦ Zerar as emissões de gases do efeito estufa das nossas operações até 2030;

♦ Tornar as fórmulas dos nossos produtos biodegradáveis até 2030;

♦ Alcançar uma cadeia produtiva sem desmatamento até 2023;

♦ Reduzir pela metade o uso de plástico virgem, ajudar a coletar e processar mais plástico do que vendemos e garantir que todas as embalagens plásticas dos nossos produtos sejam reutilizáveis, recicláveis e compostáveis, usando pelo menos 25% de plástico reciclado nas embalagens até 2025.

 

 

 

 

 

Fonte: Embalagem Marca 03.09.2020

Parceiros